Fale com a gente (34) 3231-9044

whatsapp.png
face.png
youtube.png
  • Uberlândia: Av. Fernando Vilela, 1.421. B. Osvaldo Rezende

  • Araguari: Rua José Carrijo, 366, Centro. Fone: (34) 3513-7679

VISITANTES

A esperança está de volta com Lula Livre, dizem trabalhadores 

As ruas que rodeiam o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC ficaram tomadas de trabalhadores e trabalhadoras de todo país e do mundo, que vieram comemorar a liberdade e dar boas vinda ao ex-presidente.

A esperança voltou!

 

Essa é a sensação e a frase mais repetida por milhares de trabalhadores e trabalhadoras que vieram ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC), neste sábado (9), para dar boas-vindas ao ex-presidente Lula. 

Antes mesmo das oito horas da manhã já se via que este não seria um dia comum no centro de São Bernardo do Campo, local onde fica a sede do sindicato.

Não dava nem para se mexer na esquina da Rua João Basso com a Rua João Lotto, onde o ex-presidente discursou, em abril do ano passado, pela última vez antes de ir para Curitiba cumprir decisão judicial e onde 580 dias depois um caminhão de som está posicionado para o pronunciamento de Lula. 

Caravanas de vários estados chegavam a todo momento. E com a notícia da liberdade do ex-presidente Lula nesta sexta (8), as CUTs do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília mudaram a programação, interromperam seus congressos e vieram para a mobilização em SBC. 

Além de representantes da CUT, da Força Sindical, Nova Central e movimentos sociais de São Paulo e do interior, também tinha sindicalistas de outros estados, de outros países, parlamentares federais, estaduais, municipais e muitas crianças do lado de fora e de dentro do sindicato. Todos esperando o abraço de Lula. 

“Está tudo tomado pelo povo e não tinha como ser diferente”, disse o presidente da CUT e metalúrgico do ABC, Sérgio Nobre. 

“O presidente Lula é o principal defensor dos direitos da classe trabalhadora, dos mais pobres e desse país, que está sendo destruído pelo governo Bolsonaro”, disse Nobre. 

A Secretária-Geral da CUT, Carmen Foro, ressaltou o que Sérgio disse e afirmou que a classe trabalhadora pode esperar todo o apoio do Lula, porque ele é um ser gigante e não há outro como ele.

“O lugar de Lula é perto de nós, no meio do povo. Hoje estamos prontos para abraçar e planejar o futuro desse país que vai de mal a pior junto com nosso presidente”, afirmou.

Segundo ela, demorou para alguém tomar juízo e garantir o direito de Lula, que foi injustiçado pela atitude do Superior Tribunal Federal (STF) de não respeitar a Constituição brasileira desde 2016, disse se referindo a decisão da Corte de autorizar prisão em segunda instância.

“Lula estando aqui fora nós faremos muitas lutas importantes no Brasil porque a liberdade do Lula significa retomada de democracia e a justiça do nosso país”, disse Carmen.

Sérgio Nobre contou que Lula agora poderá percorrer o país para conversar com a classe trabalhadora e colocar esse país no rumo certo do crescimento, das políticas sociais, dos mais pobres e, principalmente, do emprego. 

“Estamos recebendo nosso presidente Lula no momento triste do nosso país, em que o Paulo Guedes apresenta um pacote de maldades para retirar direitos da classe trabalhadora, vendendo nossas estatais”, afirmou. 

“Enfrentar isso é nossa principal tarefa, agora ganhamos uma ajuda de peso. Com Lula solto e nos ajudando a luta fica mais fácil”, finalizou Nobre.

Lula Inocente

Lula guerreiro do povo brasileiro e Lula Livre foram os gritos de guerra da mobilização. Músicas também animavam as pessoas que aguardavam ansiosamente a presença de Lula, nem que fosse só para vê-lo de longe.

O secretário de Finanças da CUT, Ariovaldo Camargo, também frisou que com Lula a esperança voltou. 

“Lula é a volta da esperança, da paz e a volta da capacidade de construir um país diferente que seja para todos e não só para classe dominante que é o que estamos vivenciando hoje com um governo voltado só para o capital”, afirmou Ariovaldo, que complementou: “agora a luta também será por sua inocência”.

“Lula inocente porque não tem nenhuma comprovação de qualquer delito, a não ser o delito de ter dado esperança à sociedade brasileira através de programas sociais espetaculares, gerando emprego, consolidando uma política habitacional. Ao contrário do que se encontra ultimamente”, destacou o secretário de Finanças da CUT. 

Lula livre internacional

Ariovaldo, que na última gestão da CUT ocupou o cargo de secretário-adjunto de Relações Internacionais, disse que tem recebido uma infinidade de manifestações de dirigentes sindicais do mundo todo, personalidades do mundo político, são mensagens de apoio e solidariedade a Lula.

“Recebemos a manifestação do um dos candidatos a superar as políticas desastrosas do Trump nos Estados Unidos, Bernie Sanders. 

E no mesmo dia em que Lula foi libertado, nesta sexta-feira (8), líderes da esquerda da América Latina, entre eles Pepe Mujica (Uruguai), Alberto Fernandez (Argentina), Ernesto Samper (Colômbia), Fernando Lugo (Paraguai) e Dilma Rousseff (Brasil), que estavam reunidos pelo Grupo de Puebla, em Buenos Aires, na Argentina, enviaram pelas redes sociais uma foto que mostra ele saudando o ex-presidente Lula e comemorando com o sinal de Lula Livre com a mão.

Educação cheia de esperança 

Para a Secretária-Geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Fátima Aparecida da Silva, a retomada do processo democrático desse país foi no governo Lula.

Ela cita que foi com Lula que teve Fundeb, que fortaleceu a educação no país, e é o governo que ganhou o título de Paulo Freire, como patrono da educação desse país, de cotas nas universidades, no piso salarial nacional, do Plano Nacional da Educação, “ou seja, as políticas implementadas pelo governo Lula nos faz ser um defensor do seu governo e acima de tudo da pessoa extraordinária que é esse homem”, disse Fátima, que é professora no Mato Grosso do Sul. 

“Lula representa a esperança de que uma educação gratuita e qualidade é possível sim. De que manter universidades públicas no orçamento dá sim. Ele representa que é possível, sim, os trabalhadores e os filhos deles serem alguém na vida”, finalizou a professora Fátima. 

Comemoração, gratidão e a defesa da Petrobras

Depois de 580 dias sozinho, Lula disse que é imensurável a felicidades destes dias em que o povo o recebeu de braços abertos, tanto em Curitiba, como em São Bernardo do Campo. 

Foi uma mistura de comemoração e gratidão. 

O diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, que veio da Bahia para comemorar a liberdade de Lula também foi muito grato ao que o ex-presidente é e fez.

“Sem dúvida alguma hoje é motivo de comemoração porque estamos celebrando algo que nós estávamos esperando a 580 dias. Lula para nós é uma referência é um companheiro que saiu do anseio da classe trabalhadora e chegou à presidência da República desse país e fez toda diferença”, afirmou.

Deyvid conta que foi Lula quem fez a Petrobras se tornar a empresa pública que ela é hoje e de que foi no governo dele que empresa se tornou a quarta maior empresa de energia do mundo e também descobriu o pré-sal e diversificou as energias renováveis.

O petroleiro disse que a classe trabalhadora veio até o Sindicato dos Metalúrgico do ABC para de novo carregar o Lula nos braços e ele a mensagem à nação brasileira de que precisa de esperança e força para enfrentar esse governo Bolsonaro, que só retira direitos da classe trabalhadora e quer entregar nossas riquezas naturais, como a Petrobras e mais diversas empresas estatais. 

“Acreditamos que com Lula temos um poder de aglutinação de diálogo com a sociedade brasileira muito maior. Ele será fundamental na nossa luta para aglutinar forças em defesa da Petrobras e do pré-sal, de diversas estatais e da nossa soberania”, finalizou Deyvid.

 

Fonte: Érica Aragão e Walber Pinto - CUT